Aperte "Enter" para pular para o conteúdo

Sem mostrar o nome

marca na areia

Existem marcas que conseguiram ultrapassar o limite das letras para serem reconhecidas. Afinal, basta ver um laptop com uma maçã piscando para saber qual é aquela marca. Ou ver um sinal de visto, levemente inclinado, para se lembrar daquela marca de materiais esportivos. Em outras palavras, nem sempre é preciso dizer o nome para que o público saiba do que se está falando.

Se, algumas vezes, não é necessário expressar uma marca para que o consumidor entenda do que se trata, em outras ocasiões a marca não pode estar explícita. Para produtos farmacêuticos, esta é uma norma da lei. Mas existem outros muitos casos em que esta é uma escolha, que aproxima o cliente da experiência que a marca lhe possibilita.

É o caso das instituições bancárias, cujos serviços são muito semelhantes. É a diferença na experiência de cada cliente que vai levá-lo a escolher pelo banco A ou B. Na publicidade feita para este setor, geralmente a marca só aparece no final. O trabalho de quem cria o vídeo é envolver e aguçar a curiosidade do espectador pelo que virá ao fim do vídeo. É possível trabalhar as cores da marca ou produto, permeando o vídeo, falando de seus atributos e qualidades antes de defini-lo para o consumidor.

Esse trabalho pode ser feito usando as cores no cenário ou no figurino dos personagens; um bordão ou slogan forte (quem não se lembra que produto tem mil e uma utilidades?), ou uma trilha sonora específica, por exemplo. O roteiro precisa falar dos atributos da marca ou do produto, mas não precisa necessariamente explicitá-lo.

A chave do sucesso desse tipo de vídeo é a construção de uma narrativa precisa, coesa e com objetivo claro, para que a marca se fixe, mesmo que não seja mostrada. Por meio do roteiro, é possível escolher uma cadência e uma sequência de imagens e de sons para colocar o espectador dentro da cena, para que ele se sinta um personagem daquele vídeo. O espectador precisa ter a percepção de que é parte daquele universo do vídeo – só assim ele criará afinidade com o produto ou marca em questão. E, assim, poderá ter certeza das qualidades daquele produto ou serviço mesmo que a marca não esteja explícita naquela ocasião.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *